Na rota das oportunidades

Ex-alunos

A área de Engenharia vai muito bem, obrigado! As oportunidades de crescimento são inúmeras, mas os desafios também. E diante de tantos caminhos a seguir, estar aberto a novas possibilidades pode ser tão (ou mais) importante quanto ter um bom networking e se especializar no ramo em que se deseja atuar.

Foi assim que Tetsuo Kamada, conhecido como professor Tchê, começou a trilhar uma rota de sucesso na Faculdade, na década de 1980. Primeiro como projetista em obras viárias sob a responsabilidade da Facens, em seguida como professor das disciplinas de Estradas I e II e TCC de Infraestrutura nas quais permanece até hoje.

 

Sou+Facens – Como surgiu o convite para trabalhar como professor na Facens?

Tetsuo Kamada – Em 1981 trabalhava em uma empresa em São Paulo, como projetista de um importante projeto viário em Sorocaba, que foi adquirido pela Faculdade no ano seguinte, juntamente com todo o acervo técnico e demais contratos da empresa.

Por sorte, fui chamado para dar continuidade ao trabalho nesta transição e acabei me mudando para Sorocaba. Mas foi somente em 1995 que comecei a dar aulas, a convite do meu sócio, o engenheiro Adalberto Nascimento, professor da Facens desde sua implantação.

 

Em sua experiência como aluno, qual foi o momento mais marcante?

Assim que cheguei à cidade, em 1982, uma das minhas atribuições profissionais era fiscalizar as obras do sistema viário do campus. Os desafios eram muitos, pois era preciso encarar sol, poeira, chuva e os riscos de escorregão (risos) para acompanhar o trabalho, além de conciliar a carreira à vida de estudante.

Por diversas vezes alguém batia na janela da sala, apontando o dedo na minha direção e indicando que tinha algum problema na obra... Então, eu saía da aula para acompanhar a situação. Meus professores na época foram muito compreensivos, pois era um entra e sai da classe... E apesar desta quebra no acompanhamento da aula, consegui o diploma, após seis anos!

 

Em sua opinião, do que um engenheiro precisa para se dar bem na área?

Ele deve seguir a área de maior afinidade, afinal, é preciso gostar do que se faz. Feita a escolha correta, o próximo passo é trabalhar, e MUITO. Em seguida, é fundamental se desenvolver tecnicamente e, no decorrer do tempo, ele vai se destacar e realizar os seus sonhos.

Outras notícias da categoria "Ex-alunos"